terça-feira, 23 de novembro de 2010

Não quero saber quem é seu pai.
Também não quero escutar nada que você tem a dizer.
Só chegue mais perto, mais um pouquinho.
Isso, querido.
Agora deite aqui no meu colo,
que eu quero mexer no seu cabelo até você dormir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário