terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Nock nock

Eu sentada na frente da porta te esperando
Não sei quantos anos já se passaram
Também não sei o motivo de continuar a esperar
Estou quase pengando no sono, quando escuto algo
Você batendo em minha porta
Mas agora já é tarde demais
Não te quero mais
Me deixe sozinha com a minha solidão,
meu amado irmão.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Vou-me embora daqui
Desse inferno de planeta
Dessa mediocridade
Dessa inferioridade

Ninguem é feliz aqui
Nada tem valor
Tudo é vazio
Assim como sua alma
Que não para de me torturar
Só raiva tem espaço.
Vingaça é lei.

Me diz
Onde fui parar?

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Fechei os olhos.
E disse, em vão, à mim mesma:
Chega de saudade.
Mas de nada adiantou...
Pois, ainda, sinto sua falta.

quinta-feira, 9 de dezembro de 2010

De que adianta ficar com dor nos joelhos,
de tanto rezar?
De que adianta mandar um filho para guerra,
sem saber o motivo disso?
De que adianta amar,
se não for correspondido?
De que adianta tirar uma boa nota,
se foi resultado de uma cola?
De que adianta sonhar,
se no final acordamos
para essa realidade?

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Amnésia, sofro de amnésia.
Não sei quem sou,
ou quem fui.
Não reconheço o lugar que estou.
Muito menos de quem me acompanha.
Não sei aonde tenho que ir,
ou o motivo de.
Não sei a razão da pressa,
ou do estress.
Preciso do meu manual,
senhor robô.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

Papai Noel, nesse natal quero um papai novo pra mim!
Esse outro que minha mamãe me deu é muito mau com a gente.
Ele bate nela e me diz que ela é má,
mas mamãe nunca foi má comigo.
Ele tem um bafo estranho, e as vezes usa palavras feias.
Tem dias que mamãe me empurra pra baixo da cama e me diz
pra tampar os ouvidos.
Eu, como medo, sempre faço.

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Sonhos

Todos os dias, você me conta de seus lindos sonhos.
Eu, como sempre, só os escutava e sorria.
No final você perguntava do meu.
Eu, sorrindo, dizia que novamente não lembrava.
Mas a verdade é que eu não sonhava.

terça-feira, 30 de novembro de 2010

-Amoor?

-Hoje não, você disse.
Mas é justo hoje que eu preciso.
E não há outro alguém que poderá te substituir.
-Por favor, implorei.
Nada, só o silêncio de sua respiração
e seus olhos duros me fitando.

É, parece que mais uma vez você me deixou na mão.
Mas quando eu cansar, você chorará
e nunca mais pedirei...

domingo, 28 de novembro de 2010

Madrugada pós.

Acordei sozinha no meio da noite. Quatro da manhã, eu não acredito nisso.
Olhei pro lado, ele estava num sono profundo, não tive coragem de acordá-lo.
Essa noite eu exigi bastante dele, estava exaurido.
Fiquei, então, simplismente olhando para seu rosto e tronco que estava meio descoberto.
Perdi-me diante das curvas leves dos músculos, bateu-me um desejo inegável de desenhá-lo ali e agora.
corri para meu atelié, pegue somente um lápis 8b e um caderno de capa dura, nem pensei em me vestir.
Foi daquele jeito mesmo, rabiscos misturados com pós ápice da noite. Quanto mais perto de terminar o desenho,
mais intenso ficava minha respiração, que agora voltara a ficar forte e rápida.
O prazer que estava na ponta do meus dedos e me atropelava, tinham antes tocado outro ser humano,
e estavam agora tocando um ser inorganico, mas ali transparecia a alma. Oh como isso me arrepiava.
Porém, foi só agora que fiquei com vergonha.
Eu finalmente estava nua diante de meu amado.

sábado, 27 de novembro de 2010

Eremónimo

Hoje não tinha nada pra fazer.
Abri o dicionário.
Queria que ele me impressionasse como sempre faz.
Me mostra palavras estranhas e difíceis.
Me faz sentir inteligente, depois que o fecho
com um sorriso bobo estampado no meu rosto.
E digo à ele:
Até amanhã, estarei esperando pela próxima palavra.
How I whish I had someone to say:
I want you to be by my side everyday
I want to wake up every morning and want your face to be the first thing I see.
I want to feel you in my every drawing.
To say: I love you, honey.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Por favor tempo, pare.
Tempo, já disse pra parar agora!
Eu não quero perder nem mais um segundo ao lado dela!
Por que só ela me faz sorrir daquele jeito especial.
De esquecer o mundo e entar em outra dimensão.
De que tudo é pra sempre e o pra sempre, nunca acaba.
Cada dia mais diferente do que o outro.
Mas ainda sim, quero congelar essa imagem,
de nós duas rindo que nem loucas no meio do ônibus,
e todos achando que defato eramos.
Só tenho uma palavra à ti amiga.
Obrigada.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

Não quero saber quem é seu pai.
Também não quero escutar nada que você tem a dizer.
Só chegue mais perto, mais um pouquinho.
Isso, querido.
Agora deite aqui no meu colo,
que eu quero mexer no seu cabelo até você dormir.

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Uma vez, conheci uma menina louca.
Disse que viajaria o mundo inteiro
e mesmo assim não seria suficiente.
Iria até a lua.

Então fez uma operação.
Seu apêndice, foi removido.
Nunca mais foi a mesma.
"incrível, foi curada" falaram.

Um dia, a encontrei no parque.
Parecia tão sem graça e igual a qualquer outra.
Olhava para o céu e ria com vergonha de si.
Coitada, perdera algo muito mais valioso.
Perdera sua graça.
E eu que a amava tanto...
Um mundo tão grande,
que era pequeno demais pra ele.
Não se encaixava em lugar algum.
Tentou até ser um camaleão,
mas de nada adiantou.
Até que um dia ele desapareceu.
E somente ela ficou de luto.

sábado, 20 de novembro de 2010

Desistiria de tudo,
por um dia que você me escute.
Pena que sonhos não se realizam.

É triste ver um amigo cair,
só que é mais triste ainda
alguém te ver caindo.

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

você não tem idéia,
não há nada nesse mundo que eu ame mais.
Há amores tão fortes que palavras são despresíveis para expressar tal paixão.

Meu coração acelera, fico toda arrepiada e perco meu fôlego só de pensar em.
Mas se me der um lápis e papel te mostro o mundo pelos meus olhos.
Meu prazer, desenhar.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Não precisa olhar para trás amor.
Por que eu já fui embora.
Tem coisas que não vale a pena esperar,
e você é uma delas...
Perdoe me por ser sincera.
Perdoe me por te magoar,
mas a verdade dói.
No entando a realidade que é cruel,
não eu.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Quando fico muito tempo olhando para o céu
me perco.
Fico tonta.
Perco o foco.
Então volto pra Terra,
e encontro você ao meu lado.
The sky is clear.
The stars are bright.
You say "one day, dear".
I say "today, right?"

Silêncio falando.

O silêncio me atrai.
Seja pela calma que me transmite.
Ou pela curiosidade que me ataca.
Olhos que reforçam o silêncio,
me fitam sem vergonha.
Temo pela tentação.
A tentação de abrir a boca,
e perguntar o imperguntável e
não receber uma resposta.
Só o silêncio.
Meus dedos percorrem a boca,
na qual quero tanto que abra para
sentir o gosto de teu silêncio.
Logo sinto sua paz entrando em mim.
Seu silêncio me corrompe.
Escuto barulhos,
mas o silêncio permanece.
E quando vejo,
seu silêncio já me possuiu.